Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Agradecimento + Texto maravilhoso!

Olá! Em primeiro lugar, gostaria de agradecer imansamente a todas vocês pelas orações, Deus abençoe a cada uma. Ainda dói um bocado, mas a graça de Deus é maior que tudo e aos poucos essa dor se transformará em saudades dos momentos bons! Mudando de assunto, encontrei um texto, na verdade uma super dica para quem está iniciando orçamento para realização do casamento. O texto é da assessora e decoradora de eventos Carol Souza Lima. Vamos conferir? 


Quanto custa casar?


Essa é a pergunta que mais abala a cabeça das noivas e, principalmente, dos NOIVOS!
Antes de fazer essa pergunta a uma amiga ou uma especialista no assunto, você e seu noivo devem discutir isso entre vocês. E aí a pergunta passa a ser outra, bem diferente: Quanto podemos (ou queremos) que a nossa festa de casamento custe?

O preço da festa é diretamente proporcional ao orçamento dos noivos. Isso se família da noiva não for tradicional e quiser pagar a festa toda. Nesse caso, o custo estará relacionado a renda dos pais dela (ou dele). E isso pode parecer muito óbvio, mas nem sempre todas as noivas ou famílias conseguem dimensionar os custos de uma festa e fazem orçamentos apertados demais que não conseguem cumprir ou querem dar uma festa com proporções imensas que não são capazes de arcar e acabam se endividando por meses a fio, mesmo após o casamento.

Como tudo na vida, o principal nesse momento é pensar num meio termo e ter em mente, principalmente, que quanto antes for programada a festa, em mais parcelas poderão ser divididos os gastos mais “pesados”. Dessa forma, o montante final se torna bem menos agressivo ao bolso dos noivos e da família.
Por exemplo, se a sua festa for orçada em aproximadamente R$ 40 mil, esteja preparada para passar um pouquinho do orçamento, afinal, nem tudo sai exatamente no preço que você espera e casar no Rio, apesar de lindo, é muito caro. E, desde cedo, já comece a fazer cortes e economias. Ou reduzindo a sua lista de convidados, ou trabalhando com profissionais menos “estrelas”, mas nem por isso menos competentes.
Assim, se você planeja o seu casamento para daqui a um ano, o montante de R$ 40 mil (não acho possível hoje em dia fazer com menos, infelizmente) acaba se tornando suaves prestações de R$ 3300 ao longo de 12 meses, sendo que isso poderá ser dividido entre os noivos e as famílias, em alguns casos. Se, ainda assim, isso é muito além do orçamento de vocês, existem algumas soluções:
1) Planeje o casamento para daqui a mais tempo, por exemplo: 1 ano e meio (18 meses) ou 2 anos (24 meses) e comece a juntar um valor mensalmente para este fim. Ao mesmo tempo, já vá pesquisando e fazendo cotação de preços para saber onde poderá economizar, onde os preços variam pouco, onde ultrapassam suas expectativas, etc. Além de servir como fonte, servirá também como inspiração para você poupar ainda mais para o seu evento.
2) Peça ajuda a familiares mais próximos. Essa é uma solução interessante para quem já tem o apartamento montado, já vive junto do noivo, ou quem não faz questão de ganhar presentes mais caros por parte dos parentes e prefere investir tudo naquela grande noite. O que pode ser feito? No lugar de uma lista de presentes para essas pessoas com quem se tem mais intimidade, você pode pedir para elas ajudarem a pagar determinadas coisas. Algumas pessoas se oferecem, naturalmente… e outras, com jeitinho, é possível conversar. Se um pagar o convite, o outro as lembranças, um der o bolo ou parte dos doces, ou ainda o dia da noiva, a noite de núpcias, qualquer coisa é muito bem-vinda nessas horas. E o melhor: aliviará o lado de vocês.
3) Abra mão de determinados luxos e comprinhas do dia-a-dia totalmente desnecessárias que fazem com que, lentamente, o salário ao fim do mês desapareça do seu bolso. Por exemplo, algumas pessoas têm mania de tomar cafezinho na rua, ou comprar diversas balas e biscoitos, pão de queijo, comer sobremesa na hora do almoço do trabalho, sem falar nas comprinhas pelo shopping. São gastos bobos, com certeza, mas ao final do mês, seriam mais uns R$ 300 que sobrariam. Pense que neste momento existe uma outra prioridade: o seu casamento.
Além do mais, para tudo existe alternativa. Existem muitas boas opções de se realizar festas muito legais e produzidas por muito menos, em casas de festas de renome menor e contratam profissionais menos famosos, fugindo da Zona Sul da cidade. É para isso, também, que existe assessoria e cerimonial! Para mostrar que não existe só os nomes mais falados, as doceiras mais badaladas e os Buffets mais chiques, mesmo com todo respeito que merecem esses grandes nomes, que construíram suas carreiras ao longo de muitos anos e muito esforço.
É exatamente nesse ponto que é preciso chegar! É necessário desembolsar um balúrdio pela decoração super famosa, ou pelo melhor e mais espetacular bolo da cidade ou ainda fechar o vestido na mais bãmbãmbãm das grifes de alta costura? Para muitas, sim. Mas, para outras, e essa é uma boa parte das noivas, vivem no mundo real, no mundo em que nem toda calça jeans é Diesel, nem toda bolsa é Louis Vuitton e nem todos os sapatos são Manolo Blahnik. Vive no mesmo mundo que, provavelmente, você também vive.

Então, definitivamente, não há uma regra para o quanto se pode gastar. O mais importante é, como já foi dito, sentar com o seu noivo, ou com seus pais ou sogros (seja lá como for o rateio das despesas na sua família) e definir quantas pessoas serão. A partir disso, calcule pelo menos uns R$ 200 para uma festa simples, por pessoa. E para uma festa com mais alguma coisa e serviços um pouco acima da média, a partir de R$ 300. Para cima, não há limites!. Não se iluda achando que dá para gastar muito menos. Pode até ser que exista, mas um outro padrão de festa… e estou falando de algo legal.
Esse último tipo que descrevi não é bem o tipo de festa que estamos falando aqui. Prefiro imaginar  uma festa com alguma pompa, nem que seja uma festa sem sofisticação em termos de luxos e extravagâncias, mas com bom gosto e lgum diferencial.
Enfim, sentar e definir o seu número de convidados já é um excelente início. Tentar convencer o seu pai ou a sua sogra que a prima dele de terceiro grau não será convidada é uma ótima idéia para começar a estabelecer limites e impor algumas regras.
Se for possível, faça uma lista de convidados já delimitando as pessoas da família que estão incluídas e deixando também os amigos próximos, como uma lista padrão. Conforme o orçamento der, aumente um pouco mais. Se apertar, os cortes são chatos, mas são necessários. Por isso, nunca chame ninguém com muita antecedência. Contudo, se o seu orçamento é bem elástico, abuse! Chame todos os colegas, tios, primos, amigos dos seus pais, todo o povo do seu trabalho e do seu noivo. Aproveite! Nunca esqueça que esse é o seu momento e o do seu noivo também.
Além disso, desde o início, é bom saber se seus pais ou seus sogros poderão ajudar com alguma coisa. Converse com eles já tendo em mãos uma previsão de custos e, se for possível, já veja o que cada um poderá pagar.

Para fechar esse tópico, só é preciso acrescentar que os problemas relativos ao orçamento sempre existem. A noiva tenta, de toda forma, economizar daqui e dali. O noivo, por sua vez, acha que ela está gastando os tubos sem pesquisar e procurando tudo do mais caro. Isso, claro, acaba gerando brigas e discussões, às vezes leves, outras mais pesadas.

O que deve ser sempre observado é: estipule o orçamento da sua festa de maneira que ambos concordem com ele. Claro que nem sempre o noivo, ou família de um dos dois, conseguem achar normal gastar o valor de um carro (usado ou zero Km, popular ou  de luxo) em uma noite e você tem que aprender a lidar com isso. Nem todos acham que fazer uma festa é primordial e encaram este fato como uma frescura e desperdício de dinheiro. Para essas pessoas, o melhor a fazer, é manter uma certa distância no que concerne a esses assuntos “desgastantes”. Respeite o espaço e a opinião delas. É mto melhor do que bater de frente e tentar mudar a cabeça de quem já pensa assim há decadas e não vai mudar agora.

O mais importante é tentar, de todo jeito, respeitar os valores definidos ao ponto de tirar alguns detalhes que passariam desapercebidos para 85% dos convidados. Mostre que você, em respeito ao orçamento estipulado, também está abrindo mão de coisinhas que seriam essenciais para que o seu dia fosse grandioso.
E, principalmente, procure não se estressar com pequenos detalhes que discutidos, diária ou semanalmente, ao longo de um ano, acabam por desgastar o relacionamento de vocês, que, no fim das contas, é o objeto de toda essa celebração.
Beijos e espero que gostem!

3 comentários:

Fadica Apaixonada!! disse...

Ainn Marilia..concordo com tudoo! Por isso que o estresse eh comigo..Livio só assina..hahahah!

bjssssss

Cristina disse...

ÓTIMAS dicas, porém acho que 40mil em um casamento não é a realidade da maioria, pelo menos não aqui no Rj. o bom é que essas dicas valem para qualquer orçamento seja para quem vai gastar muitoo, ou para quem vai gastar razoável, o planejamento é sempre a melhor saída, ninguém merece ficar pagando muitas despesas pós casamento! bjsssssssssssssss

Na disse...

Realmente o texto é muito legal... Tem pessoas que nem pensam por exemplo que a família pode dar uma mão, um ajuda num docinho, outro dá uma noite de núpcias, assim por diante... É bacana mesmo!!! Abraçosssssss